segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Rebeldes avançam e já controlam capital da Líbia; filhos do ditador Muammar Kadafi são detidos

Forças rebeldes na Líbia anunciaram neste domingo ter chegado à praça Verde, no centro da capital Trípoli, perto do quartel-general do ditador Muammar Kadafi, sem encontrar resistência das forças leais ao ditador líbio. As informações são da rede de TV Al Jazeera.

A praça Verde é um dos símbolos do regime líbio, e desde o princípio da rebelião as redes de televisão oficiais transmitiram ao vivo o reagrupamento dos partidários de Kadafi deste local. De acordo com os rebeldes, citados pela Al Jazeera, eles já controlam toda a capital, com exceção do complexo de Gaddafi, em Bab al Aziziyah.
Rebelde líbio comemora invasão de Trípoli; relatos dão conta de mais de mil mortos
Mais cedo,o porta-voz do regime de Gaddafi, Moussa Ibrahim, disse em entrevista coletiva exibida na TV estatal que ao menos 1.300 morreram e 500 ficaram feridas durante os confrontos na capital líbia, Trípoli. Paralelamente a isso, mais cedo, a Otan (aliança militar ocidental) bombardeou quartel general de Gaddafi e aeroporto na cidade.

Os combates dentro de Trípoli, combinados com os avanços dos rebeldes em direção à periferia da cidade, parecem sinalizar que essa é a fase decisiva de um conflito que já dura seis meses e se transformou no mais sangrento da “Primavera Árabe”, envolvendo a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).
“As chances de uma saída segura para Gaddafi diminuem a cada hora”, disse Ashour Shamis, um ativista da oposição da Líbia e editor baseado no Reino Unido.

Mas a queda de Kadafi, depois de 42 anos no poder, não é dada como certa. Suas forças de segurança não cederam, e a cidade é bem maior do que qualquer coisa que os combatentes anti-Kadafi, em sua maioria amadores, com suas armas velhas e uniformes improvisados, tiveram que enfrentar.

Se o líder líbio for forçado a sair do poder, haverá dúvidas quanto à capacidade da oposição de restabelecer a estabilidade no país exportador de petróleo. O comando das forças rebeldes tem sido abalado por disputas e rivalidades.

Filhos detidos
Mohammed al-Kadafi, o filho mais velho de Kadafi, se entregou às forças rebeldes neste domingo, disse o líder do Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio, Mustapha Abdelkhalil. Anteriormente, ele havia anunciado que o filho mais novo do ditador, Seif al-Islam, havia sido preso.
A TV estatal líbia divulgou uma nova mensagem de áudio de Muammar Kadafi, na qual ele faz um apelo para que partidários saiam às ruas para combater os rebeldes, que estão próximos do centro da capital, para “salvar Trípoli”. Veja o vídeo sobre o avanço dos rebeldes e apelo de Kadafi para o povo resistir:
“Bela Trípoli, eles vão entrar em uma cidade destruída. Imãs nas mesquitas, vocês precisam sair agora e marchar. Vão agora com suas armas. Todos vocês. Não deve haver medo”, disse o ditador Muammar Gaddafi. “Temo que, se não agirmos, eles [os insurgentes] vão queimar Trípoli”, disse ele em uma mensagem em áudio transmitida pela TV estatal. “Não teremos mais água, comida, eletricidade ou liberdade.”

Em sua segunda transmissão de áudio em 24 horas, Kadafi chamou os rebeldes de ratos. “Estou ordenando que abram os depósitos de armas”, disse Gaddafi. “Conclamo todos os líbios a aderirem a essa luta. Aqueles que tiverem medo podem dar suas armas às suas mães ou irmãs.” “Vamos lá, estou com vocês até o fim. Estou em Trípoli. Vamos vencer.”
Queda iminente
A Casa Branca previu neste domingo que os dias de Kadafi “estão contados”, em um momento em que os rebeldes se confrontam com forças leais ao governo pelo controle da capital líbia, Trípoli.

A Otan disse que o regime do ditador “desmorona”, enquanto os rebeldes travavam uma forte batalha para conquistar Trípoli, o último passo para a vitória contra o governo.

Da redação O Arauto Mamanguapense
clenilsonpinto@yahoo.com.br

Postar um comentário