quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Asteroide Lutetia é possivelmente um precursor dos planetas, diz estudo

As mais de 400 imagens tiradas da superfície do Lutetia possibilitaram um estudo mais aprofundado deste asteroide que foi descoberto em 1852. Ele aparentemente é um planetesimal (um bloco rochoso que teria dado origem a todos os planetas do Sistema Solar). Com isso, ele poderia fornecer dados sobre a formação da Terra e de nossos planetas vizinhos.

France Presse
Imagem divulgada pela Nasa da superfície do asteroide Lutetia; as mais de 500 imagens foram tiradas em 2010
Imagem divulgada pela Nasa da superfície do asteroide Lutetia; as mais de 500 imagens foram tiradas em 2010
Situado a 450 milhões de quilômetros da Terra, o Lutetia tem cerca de 120 km de comprimento por 100 km de largura. A sua geologia é complexa e de uma densidade muito elevada para os padrões de um asteroide --a análise está detalhada na edição da revista "Science" desta semana.
O Lutetia mantém as marcas de um longo passado de colisões: o bombardeio por asteroides menores criou crateras de vários quilômetros em sua extensão. Em regiões jovens, como o polo norte, há poeira produzida pelo impacto de meteoritos e traços de deslizamentos de terra visíveis.
"Este é um objeto completamente seco. Não há traço de hidratação na superfície, o que quer dizer que, provavelmente, ele foi aquecido em algum momento [de sua vida]", aponta Erard, responsável francês pelo espectrômetro da sonda Rosetta, que coletou os dados do Lutetia em julho de 2010.
A sonda passou no ano passado a 3.142 km da superfície de Lutetia, que está posicionada no cinturão principal de asteroides entre as órbitas de Marte e de Júpiter.
Lançada em 2004, a Rosetta tem um encontro em 2014 com o cometa 67/P Churyumov-Gerasimenk.

Da Redação O Arauto Mamanguapense
Postar um comentário