segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Saiu Até no G1 Paraíba : Reordenamento da Rede Estadual de Ensino,FECHA ESCOLAS NO ESTADO DA PARAÍBA !

 

Reordenamento na Rede Estadual de Ensino fecha escolas na Paraíba

Governador diz que reordenamento vai melhorar educação estadual.
Diretores e professores de escolas se queixam da situação.


O Governo da Paraíba está realizando um reordenamento da Rede Estadual de Ensino, o que está causando preocupação e descontentamento em muitos professores, pais e alunos. A extinção de séries do Fundamental ou do Ensino Médio em determinadas escolas e até o fechamento completo deve atingir mais de 100 instituições na Paraíba, conforme números aproximados passados pela Secretaria da Educação.

Embora nada tenha sido publicado no Diário Oficial, todas as gerências regionais de ensino já possuem os nomes das instituições incluídas no reordenamento e os seus diretores estão sendo informados. A Escola de Ensino Fundamental Imaculada Conceição, no município de Cabedelo, na Grande João Pessoa, é uma delas.

A escola ainda precisa de serviços de manutenção, mas possui carteiras em bom estado e recebeu uma série de novos equipamentos como ventiladores, material esportivo, televisão, data show e notebooks, para formarem um laboratório de informática. Ainda nesta segunda-feira (9), a escola recebeu livros didáticos novos para serem distribuídos. “Por que não recuperar? Aqui é uma comunidade carente, temos a Favela de Imaculada, de onde recebemos todos os alunos. Vamos excluir esses alunos? Vamos aumentar o nível de violência?”, questionou a diretora Fátima Peixoto.

Mais de 200 anos alunos que faziam parte do quadro da instituição em 2011 terão que ser transferidos. “Na verdade a gente tinha mais de 600 alunos, mas todo ano a escola enfrentava boatos de que iria fechar e nós perdemos alunado com isso”, afirmou a diretora. Segundo ela, o prédio da escola é alugado e os proprietários falam que os valores não são pagos há mais de um ano. As ameaças de ordem de despejo eram constantes desde 2009.
“Estamos muito tristes com essa notícia. Fomos informados já no final de dezembro”, comentou a diretora, ao acrescentar que a instituição tem 40 funcionários, sendo 12 prestadores de serviço – que não têm nenhuma perspectiva de permanecer com o emprego público. Até mesmo os professores efetivos ainda não sabem para onde serão remanejados.

Entre os prestadores de serviço está a professora de inglês e de português Hozana Moisés dos Santos, que ensina na Imaculada Conceição há 13 anos. Faltando apenas um ano para se aposentar por tempo de serviço, ela não sabe o que fazer com o fechamento da escola. “Os prestadores serão todos demitidos. Já fui na Secretaria de Educação e eles disseram, apenas, que meu nome não consta no remanejamento”, contou emocionada.

Segundo um dos representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Paraíba (Sintep-PB), Carlos Belarmino, diretores de escolas de todo o Estado estão ligando, queixando-se da situação. “Não temos ainda um levantamento, mas já solicitamos uma audiência com o governo do Estado para que eles possam informar quais são os critérios do fechamento e também forneçam a documentação disso. Eles estão informando aos diretores o fechamento 'de boca'. Estão todos preocupados, principalmente os cerca de 10 mil prestadores que sabem que vão perder o emprego”, disse Carlos.

Reordenamento vai melhorar educação
O governador Ricardo Coutinho (PSB) falou nesta segunda-feira (9), em seu programa semanal de rádio, que o reordenamento da Rede Estadual de Ensino deve melhorar a educação na Paraíba. Ele explicou que apenas escolas que não possuem condições estruturais serão desativadas. Ricardo garantiu que os alunos das escolas desativadas não serão prejudicados pois vão ser transferidos para outras unidades.

“Temos que ter a coragem de fazer os ajustes para beneficiar fundamentalmente os estudantes”, disse Ricardo Coutinho. "O que está sendo feito é para melhorar a rede estadual de ensino. Os estudantes precisam compreender que as medidas adotadas visam melhorar as unidades escolares”, completou o governador.

O governador disse que o reordenamento está previsto em lei. Ele também afirmou que foi verificado a existência de várias escolas sem estrutura no estado. “O que não se pode é ter duas escolas funcionando no mesmo prédio. O que não pode é uma escola sem um banheiro”, disse Ricardo defendendo o reordenamento.
                MATÉRIA DIVULGADA NO PORTAL G1 PARAÍBA EM 09/01/12.
Postar um comentário