quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

TRE diploma nesta terça-feira: prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos de cinco cidades da 7ª zona

A diplomação dos cinco prefeitos e vice-prefeitos, 49 vereadores dos municípios de Capim, Cuité de Mamanguape, Itapororoca, Mataraca e Mamanguape, estar programado para a noite desta terça-feira (18). O evento será realizado às 19h, no Ginásio Poliesportivo do Instituto Moderno, em Mamanguape. Os eleitos serão diplomados pela juíza eleitoral da 7ª zona, Daniela Rolim Bezerra e pelo filho ilustre de Mamanguape, presidente do TRE/PB, desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, convidado especial para a solenidade.

Reeleito para mais um mandato de quatro anos, o prefeito de Mamanguape, Eduardo Brito (PR) administrará o município com maioria folgada na Câmara de Vereadores, dos 13 parlamentares, elegeu 10. Há quem diga que o republicano poderá contar com o apoio da vereadora Kaká, a única eleita pelo PT. Nas eleições de 7 de outubro, Eduardo Brito obteve 12.522 votos (52,99%), seu vice-prefeito é Beto Fernandes (PSDB), irmão do ex-prefeito Fábio Fonseca (PSDB) e, do ex-deputado estadual Ariano Fernandes Fonseca (PSD).


Já em Cuité de Mamanguape, Isaurininha Meireles (PMDB) se reelegeu com 2.901 votos (58,56%). A peemedebista terá uma bancada de vereadores de 2/3 no Poder legislativo municipal, além de um vice-prefeito do partido do vice-governador do Estado, Rômulo Gouveia, Hélio Severino, mais conhecido por Helinho.






A cidade litorânea de Mataraca será administrada por um jovem de 22 anos, estudante de comunicação social, Olímpio Alencar (PSDB). O tucano derrotou dois concorrentes a Prefeitura, Egberto Madruga (PMDB) e a prefeita Karine Lira (DEM). Olímpio teve a seu favor. 2.452 votos (44,44%). Ele contará com apoio da vice-prefeita Emília Brandão (PSB), aliada do governador;Olímpio estar entre os quatros mais jovens prefeitos do País e o segundo da Paraíba, é filho da ex-prefeita do município, Cláudia Alencar (PSDB). Nos bastidores da política local, o tucano terá maioria na Câmara de Vereadores já em janeiro.








De vocação para o serviço público e o mundo empresarial, o prefeito eleito de Capim, vereador (até o dia 31 de dezembro), Edvaldo Freire (PMDB) teve 1.874 votos (51.06%), derrotou o seu adversário político, Roberto Thiago (PSDB), do esquema político liderado pelo prefeito Sérgio Lima (PSDB) por uma vantagem apertada, 78 votos; a eleição mais acirrada das 12 cidades na região.

Com seu estilo mineiro de fazer política, bem articulado, Edvaldo Freire terá maioria na Câmara de Vereadores a partir do inicio dos trabalhos na Casa, sua coligação elegeu apenas quatro, dos nove, no pleito de 2012, quem viver, verá. O peemedebista tem ao seu lado, o experiente vereador como vice-prefeito, Zé Baia – Partido Verde, comandado na Paraíba pelo ex-deputado Sargento Denis.
Engenheiro agrônomo, o produtor de cana-de-açúcar, Celso Morais (DEM) mostrou-se um dos políticos dos últimos 20 anos, mais popular da história de Itapororoca, em 2008 perdeu uma eleição por menos de 80 votos, para a maior liderança do PMDB, ex-prefeito da cidade, José Adamastor Madruga [naquela época].

Apesar de não ter conseguido atingir os 50% dos votos, Celso Morais passou um ano e quatro meses na Prefeitura, porque o primeiro colocado, Adamastor Madruga teve seu registro indeferido pela Justiça Eleitoral. O democrata realizou muito em pouco tempo, diante seus antecessores, claro, proporcionalmente. Ele deixou a Prefeitura equilibrada e, mais de meio milhão no tesouro municipal. Calçou cinco ruas, adquiriu duas ambulâncias, os servidores efetivos, comissionados e contratados recebiam os salários rigorosamente em dia.Inteligente, de vocação para o “parlamento”, vereador, presidente da Câmara, Erilson Rodrigues (PTB) assume a prefeitura e durante aquele episódio conseguiu por três vezes junto ao TSE em Brasília suspender as eleições suplementares. Erilson estar na Prefeitura desde abril de 2010, encerrará o mandato de dois anos e poucos meses, no dia 31 de dezembro, sem ter sido votado pelo povo, pegou o cavalo selado como diz o matuto, teve durante todo mandato nove vereadores lhe dando sustentação na Câmara, mas não se reelegeu.

O democrata Celso Morais volta ao cenário político a pedido do povo em 2012, pelas mãos do primo Zé Inácio Morais e do articulador político Ricardo Souto, genro de Adamastor Madruga, formalizaram uma aliança (DEM/PMDB) com a chapa majoritária, além de outros partidos, foram vitoriosos. O pleito de outubro de 2012 ficará escrito nos anais da história política local, os votos das urnas eletrônicas quando foi computado após as 17h do dia da votação, Celso teve a seu favor 5.615 votos (59,36%). Sua maioria sobre o petebista Erilson totalizou 1.770 votos, a maior vantagem de um candidato para candidato em eleição desde a emancipação política do município na década de 60. A vice-prefeita de Celso, Luciana Madruga (PMDB) tem tudo para lhe orientar na administração, é formada em contabilidade e já exerceu cargos importantes na Prefeitura quando seu pai era o prefeito. A peemedebista tem projetos para 2016 em ser a candidata da situação e com a mesma aliança construída em 2012; até lá muitas águas irão passar por debaixo da ponte.

Da redação O Arauto Mamanguapense 
Com PBVALE
Postar um comentário