terça-feira, 17 de abril de 2012

DIREITO DE RESPOSTA: DE GABRIEL FERNANDES, A MATÉRIA "O RACHA NA HISTÓRIA DA POLITICA MAMANGUAPENSE

  


Amigo Clenilson,observo alguns erros na matéria escrita pelo Professor Augusto Cezar,na qual ele comenta algo que nunca existiu,que foi um racha no PMDB mamanguapense nas eleições de 1988.

Você retrata como se Ariano fosse um forasteiro (estilo os que vem normalmente a Mamanguape em épocas de eleição,talvez essa tenha sido sua intenção). Ariano não ''chegou'' à Mamanguape no ano de 1988,a ligação entre Ariano e Mamanguape é bem mais longa,pois já muito jovem Ariano ia com frequência para a cidade,junto com seu avô Manoel e seu tio José(tradicionais políticos de Mamanguape e fundadores da usina Monte Alegre,na qual Ariano trabalhou).

Segundo: Ariano não queria nem participar da eleição de 88,participou apenas por quê seu tio,na época o prefeito,Gustavo e o próprio candidato,Guilherme,lhe pediram,exterminando com qualquer hipótese de ''passar a perna'' (termo que particularmente acho extremamente vulgar) em Guilherme.

O rompimento com Guilherme veio na eleição seguinte quando o mesmo recebeu o apoio do na época prefeito,Aécio Flávio,assim rompendo com o grupo.

E queria deixar bem claro que entre Fábio e Ariano não está estremecido e nem há clima de animosidade alguma.
Inclusive são irmão e se dão muito bem.
 
Da Redação O Arauto Mamanguapense 

Postar um comentário