terça-feira, 31 de julho de 2012

EM MARI-PB: Esquartejamento de irmãos é elucidado; Assassinos são presos.


 
 
O duplo homicídio, no qual irmãos foram brutalmente assassinados e tiveram seus corpos esquartejados na cidade de Mari (veja a matéria), segundo informações da Polícia Civil, já foi elucidado.

Na manhã desta segunda (30), cerca de 24h após os corpos terem sido encontrados às margens de um açude, homens da Polícia efetuaram a prisão de Leonardo Miranda da Silva, 20 anos (foto acima), residente no Bairro Procanor, que confessou participação no crime e a partir de então outras investidas policiais foram realizadas na cidade.

Os policiais se dirigiram até uma área localizada entre Caldas Branão e Mari, onde, de acordo com informações da autoridade Policial, seria de esconderijo para quadrilha envolvida no crime. Relatos dão conta que ao chegar ao local, os policiais encontraram produtos para lubrificação de armas, uma enxada e colchões. Ao queimar os colchões, os policiais foram surpreendidos por cerca de oito elementos que estariam voltando ao esconderijo. Houve troca de tiros e os elementos conseguiram fugir por uma mata densa nas proximidades do local.

Esquartejamento em MariDepois de um amplo trabalho investigativo e da realização de várias buscas em residências suspeitas, que envolveu o Delegado da cidade Dr. Reinaldo Nóbrega e o Superintendente da Polícia Civil Dr. Hugo Elder, além de vários policias de Mari e Itabaiana, foram conduzidos para Delegacia, José Carlos do Nascimento Francisco, 27 anos, vulgo "barata" (foto acima) e dois adolescentes V.A.L. de 16 e R.B.S 17 anos, respectivamente; ainda foram aprendidos uma espingarda calibre 12 com duas munições, uma foice, um facão e uma faca. Segundo a Polícia os envolvidos confessaram que o material foi utilizado no crime.

Abaixo, foto do material usado no crime:


Na DP, José Carlos afirmou que sua participação foi apenas atrair as vítimas até o açude e em entrevista à imprensa relatou que o motivo do crime teria sido um acerto de contas por causa de um desentendimento com uma das vítimas. Um dos adolescentes ainda deu detalhes de como eles executaram os irmãos, alegando que um deles morreu apenas porque acompanhou o grupo. O adolescente falou que primeiro o grupo utilizou a espingarda e depois que começaram a esquartejar os corpos, arrancando as cabeças e colocando em uma sacola antes de enterrar os pedaços. E acrescentou "Não me arrependo do que fiz, fazia pior se ele tivesse vivo e jogaria bola com a cabeça dele".

Em entrevista o Dr. Hugo Elder (foto) disse que a Polícia Civil tem trabalhado com afinco na elucidação dos crimes que acontecem na cidade, logrando um êxito de quase 100% e salientou que para que o trabalho tenha mais frutos se faz necessário um forte trabalho ostensivo da Polícia Militar, agilidade nas questões judiciais na emissão de mandados de busca e apreensão e a colaboração da população. Dr Hugo ainda declarou que com base nas prisões e apreensões, na quantidade de crimes e na apuração feita hoje se pode afirmar que existe um grupo de extermínio agindo na cidade.

Os envolvidos alegaram ter envolvimento com drogas e participar de uma facção criminosa. Ainda foram aprendidos alguns aparelhos celulares, em um deles, a Polícia encontrou uma música fazendo apologia ao crime e citando os nomes dos supostos matadores do grupo.

Da Redação O Arauto Mamanguapense
Com o Blog Mari Fuxico

clenilsonpinto@yahoo.com.br
oarautomamanguapense@gmail.com
Postar um comentário