quarta-feira, 25 de julho de 2012

Há 20 anos falecia Lourival Caetano, o maior líder político de todos os tempos em Bayeux UM FILHO ILUSTRE DE MAMANGUAPE QUE SAIU DAQUI PARA BRILHAR EM BAYEUX .


Natural da cidade de Mamanguape,ele era filho de Firmino Caetano Alves de Lima e de Maria Caetano Fernandes de Oliveira que VINHERAM de Portugal para Mamanguape, de Mamanguape fizeram história em , Bayeux, Campina grande e Rio de janeiro e São paulo Inclusive em Mamanguape


SEU IRMÃO FOI O EX PREFEITO DE MAMANGUAPE JOÃO CAETANO ALVES DE LIMA QUE ADMINISTROU MAMANGUAPE POR 2 MANDATOS UM COMO VICE OUTRO COMO PREFEITO DO ENTÃO EX GOVERNADOR JOSÉ FERNANDES DE LIMA


   
Em 4 de julho de 1992 falecia o ex-prefeito de Bayeux Lourival Caetano.Foi no clima frio do inverno que o maior líder político desta cidade Lourival Caetano, conhecido carinhosamente como “Louro”, bateu asas e foi embora, deixando o eco estridente da sua cantoria nas ruas, praças, becos e vielas, onde foi amado e amou grandiosamente o seu povo.
O político Lourival Caetano foi um administrador humilde, integro, responsável e carismático, soube honrar e enobrecer os mandatos que lhe confiou o povo de Bayeux.
História.

Lourival Caetano nasceu em 06 de abril de 1922, na cidade de Mamanguape, veio muito jovem morar em Bayeux. Sendo proprietário de uma padaria em sociedade com o seu irmão Jaime Caetano.

LOURO, como era chamado cariosamente pelos seus amigos e correligionários, sabia cativar se relacionar com todos, dos mais humildes aos mais letrados. Com um carisma que era próprio e peculiar a sua pessoa. Sempre com uma palavra de conforto, de afabilidade e atos de generosidades para com os mais carentes. Foi conquistando o coração deste bravo povo bayeuxense.

Em 1955, a pedido do então líder político de Santa Rita, Dr. Heraldo Gadelha, ingressou na atividade pública, sendo candidato a vereador de Santa Rita, pois naquele período Bayeux, pertencia a Santa Rita. Eram os primeiros passos deste grande Líder.

Posteriormente, em 1959, foi candidato a vice-prefeito de Santa Rita, e já começou a demonstra ser muito bom de urna, conseguindo se eleger com mais votos do que o candidato a prefeito, Sr. Antônio Teixeira. Louro foi trazido nos braços do povo do fórum de Santa Rita até a sua residência na Av. Liberdade ao lado da Padaria São Francisco.

Em 1964, Lourival foi candidato a prefeito de Bayeux ,enfrentou o coletor Severino de Oliveira Lima, conseguindo vencer o seu opositor com uma diferença de 1111 votos. Sendo prefeito pelo PSD, partido de oposição, em pleno período da revolução de 1964, continuou coerente com seus princípios, não mudou de partido, mesmo recebendo convites, nunca se curvou aos poderosos da época, mesmo sabendo dos riscos do AI5, que cassava sem conceder o sagrado direito, do contraditório, da ampla defesa. Fez uma administração muito difícil, diante de tantos obstáculos, mas deu prioridade ao social, aos mais pobres, construindo casas, doando materiais, e ajudando aos mais humildes.

Em 1972, Lourival Caetano volta a disputar o pleito municipal, enfrentando desta feita os três candidatos da Arena, Geraldo Santana, Antônio Dias de Souza e Joaquim Ernesto de Matos, foi um pleito considerado muito difícil, pois sete urnas, encontravam-se com sérios problemas de vícios, as chamadas “urnas engomadinhas”, pois tinha uma só caligrafia e todas encontravam-se juntas, e não espalhadas como as demais, e nessas sete urnas, houve serio risco na candidatura de Louro, as pessoas se aglomeram na frente do Fórum , na época ao lado do antigo cinema do tabelião Severino Araújo, com paus, enxadas, a revolta era geral, mas, mesmo com este sério problema eleitoral, da época, que não tinham urnas eletrônicas, era fácil, haver trocas de urnas. Mas já próximo ao término dos resultados, Lourival Caetano, sentido a gravidade do momento, em virtude do grande tumulto e a sabendo do risco de invasão, foi à frente do Fórum comunicar aos seus correligionários, que ficassem tranqüilos que mesmo com todos este vícios, ele estava praticamente eleito. Houve grande euforia, com muitos fogos e muito festejo. Na verdade foi uma vitória monumental, 1 só candidato, enfrentando a soma da ARENA 1, 2 e 3, com sete urnas realmente violadas, ou até mesmo trocadas. E mesmo assim galgou a mais expressiva vitória da sua carreira política.

Fez uma administração mais uma vez voltada para o social, atendendo aos mais carentes, conseguindo a implantação de diversas agencias Bancárias, Agencia dos Correios de Bayeux. Fez uma boa administração dentro das dificuldades financeiras, pois o município ficou sem receber o I.C.M.S por mais de dois anos, em virtude de encargos da gestão anterior. Ao término do seu mandato teve uma aprovação da sua administração, tão alta, que elegeu a sua esposa Niná Caetano, com uma votação consagradora.

Em 1978, disputou ao cargo de Deputado estadual, obtendo uma votação expressiva na nossa cidade de Bayeux, e sendo bem votado em João Pessoa, Santa Rita, Espírito Santo, Sapé, e tantos outros municípios, que galgou uma grande vitória , sendo o primeiro deputado estadual, representante de Bayeux. Como deputado estadual, durante os quatro anos, foi o deputado que mais apresentou requerimento em favor dos relevantes interesses de Bayeux e da Paraíba.
Já em 1982, foi candidato novamente a prefeito de Bayeux, e faltando 23 dias para a realizações das eleições teve sua candidatura indeferida pelo TSE, devido a mudança da juris prudência pátria que não mais aceitava candidaturas de parentes e de esposos. Mesmo com poucos dias para escolher novo candidato, Louro indicou o Diretor de Serviços Urbano do Município o Sr. Pedro Juvêncio da Silva, que conseguiu uma grande vitória.

No ano de 1988, Lourival Caetano, foi eleito pela terceira vez prefeito de Bayeux, mostrando insofismavelmente o seu carisma e sua grande liderança política. Efetivamente foi uma gestão mais difícil que Louro enfrentou, em virtude dos problemas de saúde, e com o rompimento do seu vice Expedito Pereira, a sua situação ficou deveras difícil, onde ele teve que administrar no leito de Hospital, onde veio a falecer no dia 24 de julho de 1992. O legado de Lourival Caetano para Bayeux, era o seu amor por esta terra, a vontade e coragem de enfrentar os grandes desafios onde tudo estava no começo. Bayeux precisava de tudo, e ele teve muita sabedoria de avançar em direção do progresso e do desenvolvimento. O seu espírito público prevalecia, pois, passado o calor eleitoral, ele jamais partiu para perseguir adversários ou praticar atos de deslealdade com quem quer que seja. Homem humilde e muito simples, nunca deixou o poder subir a sua cabeça, sempre o mesmo Louro, ante e depois dos exercícios do cargos públicos ao longo de sua vida. O nome de Lourival Caetano, ainda é muito querido por todos que o conheceram e viveram a aquele período da historia da nossa cidade.

Da Redação O Arauto Mamanguapense
Com informações do Blog Política de Mamanguape
clenilsonpinto@yahoo.com.br
oarautomamanguapense@gmail.com
Postar um comentário