segunda-feira, 5 de março de 2012

EM RIO TINTO:ex-presidiário é alvejado com 3 tiros na cabeça; é grave o estado de saúde



Foto: Tribuna do Litoral PB / 'Local da tentativa de homicídio em Rio Tinto'
A Polícia Militar de Rio Tinto foi acionada por populares por volta das 00h30 da madrugada deste domingo (04), depois de terem escutado três disparos de arma de fogo na Praça da Vitória. O ex-presidiário da Cadeia Pública de Rio Tinto, Wellington Marcelino de Oliveira Silva (25), vulgo ‘Porco’ foi alvejado com três tiros de revolver na região da cabeça, pelo acusado Lenilson Tavares dos Santos (25), vulgo ‘Gançinho’, que cumpre pena na mesma Cadeia, em prisão domiciliar.

Testemunhas informaram que Wellington estava bebendo com Lenilson e sua companheira no ‘Bar de Marcelo’ na Praça da Vitória, quando houve uma discussão entre a vítima e o acusado.
Segundo a Polícia, ao chegar ao local, em frente ao colégio estadual Luiz Gonzaga Burity, se depararam com a vítima caída ao chão com as perfurações na cabeça e ainda agonizando. Porco foi encaminhado para o hospital municipal Francisco Porto onde recebeu os primeiros socorros e em seguida, encaminhado em estado grave para o Trauma de João Pessoa.
Depois de andarem cerca de 200 metros do local onde estavam bebendo, Gançinho sacou a arma e efetuou três disparos na vítima, e foragiu. A esposa do acusado disse a polícia, que antes da confusão, Gançinho teria recebido um telefonema e em seguida feito uma aparente ‘pazes’. Eles pagaram a conta e saíram do Bar em direção a escola Burity.
Lenilson Tavares dos Santos foi o único sobrevivente das sete vítimas atingidas em um grave incêndio que aconteceu na noite do dia 11 de junho de 2011 no presídio de Rio Tinto. A Polícia está em diligência no sentido de capturar Lenilson, porém até o momento sem êxito.
Wellington Marcelino de Oliveira Silva cumpriu pena em Rio Tinto por assalto a uma farmácia na cidade. A assessoria do hospital municipal de Rio Tinto informou as 11h20 desta manhã, que o Wellington continua em estado grave. No entanto, é aguardado o boletim oficial do hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena para que possa divulgar com mais precisão o real estado de Wellington.
Da redação O Arauto Mamanguapense 
com informações de Felipe França / Tribuna do Litoral
clenilsonpinto@yahoo.com.br
Postar um comentário